Dicas

Plantando uma horta em casa

Toda vez que assisto ao programa do Jamie Oliver, morro de inveja das hortaliças em vasinhos logo ali, ao alcance das mãos do cozinheiro. Como defensor da alimentação saudável, Jamie faz questão de plantar hortaliças, legumes e tudo que for possível na sua casa. E a gente pensa que deve dar um trabalho absurdo, né? Pois saibam que não tem muito mistério.

Encontrei nessa matéria da Veja Rio dicas para começar a plantar ervas e temperos em casa. O mais interessante é que muitas delas você pode cultivar em áreas pequenas, pois nem todo mundo dispõe de um quintal ou área externa grande para plantar de tudo um pouco. Sabe aquele cantinho da área de serviço, que bate um solzinho? Ali pode ser um ótimo espaço para colocar vasos e caixas com as sementes.

Plantando uma horta em casa

dez dicas para ter sucesso com sua horta

1 – Os vasos ou cantoneiras devem ter pelo menos 15 centímetros de altura e furos no fundo, para o excesso de água escoar. Atenção: nunca deixe o vaso diretamente no chão. Use uma base com pezinho. Do contrário, o acúmulo de água no vaso pode levar ao apodrecimento das raízes das plantas.

2 – Se o problema ainda for espaço, opte pela horta vertical em uma parede próxima à janela onde bate sol. Você pode pendurar os vasinhos da forma como quiser, de preferência escolhendo os mais leves, como os de plástico. É possível, ainda, plantar mais de uma erva no mesmo vaso: a alfavaca, por exemplo, pode ficar com o alecrim ou com o manjericão. Já a erva-cidreira precisa de um espaço maior para crescer, então é melhor deixá-la sozinha.

3 – Prepare o solo. A terra deve conter 1/3 de areia, 1/3 de argila e 1/3 de composto (adubo, como o húmus de minhoca). Antes de colocar a terra no vaso, forre-o com uma camada de areia grossa, cascalho ou pedrinhas para garantir a drenagem da água. Em seguida, acrescente a terra composta de partes iguais de areia, argila e adubo – é possível comprar tudo em lojas de jardinagem.

4 – Evite deixar a terra descoberta por muito tempo, para que não haja perda de nutrientes. Se possível, cubra o solo com restos de palha ou cascas de cereais.

5 – As sementes exigem mais técnica de plantio. Por isso, prefira as mudas. Lembre-se de fincar uma estaca para auxiliar o crescimento vertical da planta – aproveite para identificá-la.

6 – Temperos e plantas medicinais, como hortelã, salsa, cebolinha, coentro, poejo e erva-cidreira, costumam ser de pequeno porte e, por isso, são ideais para serem cultivados em pequenos espaços.

7 – Regue conforme a necessidade de cada espécie. O ideal é uma vez por dia, de preferência pela manhã. Mais do que duas regas por dia podem levar ao apodrecimento da raiz. A água deve ser limpa e, de preferência, sem cloro. Lembre-se que você vai consumir o que sai da hortinha.

8 – Para saber se é preciso regar a horta, faça o seguinte teste: afunde o dedo na terra. Se ele sair sujo, significa que ela ainda está úmida. Portanto, não é necessário regar mais. Fique atento, também, à aparência da planta. Se ela estiver murchinha, é sinal de que precisa de água. Encontrar a quantidade ideal para a sua horta é um exercício diário de observação das plantas.

9 – Adube a horta uma vez por mês. Mas atenção: não remexa a terra do vaso. Isso pode matar a planta, uma vez que a raiz já está assentada.

10 – Se surgir alguma praga, use inseticida natural, como o óleo de nem, feito a partir da semente dessa espécie de árvore. E não se esqueça de arrancar os matinhos invasores vez ou outra nascem na hortinha.


Não tem muito mistério, viram? É só por a mão na massa e cuidar com muito amor! Eu vou começar a minha ainda esse ano, mostro a evolução pra vocês em um próximo post! Quem vem comigo nessa?

Dicas e imagem extraídas da Veja Rio.

Raquel Arellano

Fã de cozinha prática e feita com amor. É apaixonada por maionese, pão com ovo e carne assada. Na cozinha, se aventura pelos doces e salgados, com uma leve queda para os açúcares da vida.
Raquel Arellano

Últimos posts por Raquel Arellano (exibir todos)