Aperitivos

Cachorro Quente no Rap10

A receita de hoje não é jabá mas uma dica que adaptei do site do Rap10. Havia um pacote do produto quase vencendo na cozinha. Como sei que Rap10 é “pau pra toda obra”, cacei uma receita com o que tinha em casa e meti bronca. Ao dar aquela averiguada na geladeira, vi que tinha um pacotinho de salsichas dando sopa. Assim nasceu um cachorro quente diferente.

Sabe quando pinta uma turma em casa sem que você tenha convidado? Ou então, quer fazer um lanchinho rápido e sem muita enrolação? SIMPLES! Com poucos ingredientes, você prepara esse cachorro quente enroladinho, que fica super charmoso na hora de servir em uma bandeja. Você pode cortar ao meio ou então ainda menor, como aperitivo.

Cachorro Quente de Rap10 | Gordelícias

Cachorro Quente no Rap10

.

Ingredientes

  • 2 discos de Rap10
  • Queijo provolone fatiado
  • 2 salsichas cozidas
  • 2 colheres de sopa de catchup
  • Mostarda amarela a gosto
  • Palitos para segurar os rolinhos

Modo de Preparo

1. Lambuze cada disco de Rap10 com 1 colher de sopa de catchup. Se tiver algum outro molho vermelho, pode usar também.

2. Acrescente a mostarda amarela a gosto. Eu usei aquela de bisnaga então dei uma “apertada” aleatória. Talvez equivalha a 1 colher de chá cheia.

3. Sobre o molho de catchup e mostrda, acomode as fatias de queijo provolone. Quanto mais finas as fatias forem, melhor.

4. Sobre o queijo, já na pontinha do disco, acomode uma salsicha já cozida, que pode ser suína ou de frango. Se fizer no micro-ondas, em 1 minuto já está bom. Enrole o disco em volta da salsicha, fazendo um rolinho. Prenda com um palito e leve ao forno médio por 10 minutos.

Faz toda a diferença assar o disco de Rap10 nas receitas. ele se transforma completamente, fica crocante, até o sabor muda! É só servir!

Rendimento: 2 cachorros quentes.

Raquel Arellano

Raquel Arellano

Fã de cozinha prática e feita com amor. É apaixonada por maionese, pão com ovo e carne assada. Na cozinha, se aventura pelos doces e salgados, com uma leve queda para os açúcares da vida.
Raquel Arellano