Conversinhas, Especial

Conhecendo Nigella Lawson

Foto: Maria Capai/DigaMaria.com
Foto: Maria Capai/DigaMaria.com

AVISO: o post de hoje é no estilo “senta que lá vem a história“. Em alguns momentos, será piegas. Em outros, vai levantar bandeiras um tanto polêmicas. Se você quiser a versão sem graça dessa história, é a seguinte:

Conhecemos Nigella Lawson, ela é linda, simpática e querida. Todos apaixonados por ela e seu jeito simples de querer ser “do povo”, comendo coxinha e tudo. 

Mas como a gente sabe que vocês querem a versão com emoção, lágrimas e pieguice… Passa um café, se ajeita na cadeira e vem com a gente.

Lembro perfeitamente do dia em que soube que uma das inspirações para o Gordelícias, a maravilhosa e diva Nigella Lawson, viria para o Brasil para divulgar o lançamento do livro “Na Cozinha com Nigella”. Foi uma coisa meio “se eu te contar você cai dura”. Eu acabei não empacotando (graças a Deus) mas fiz aquela minha cara besta de quem recebe uma boa notícia mas não sabe se demonstra com um berro, um pulinho ou se chora. Essas coisas. Daí fico com uma cara de pastel. Sou dessas.

Passou-se um tempo desde que soube que ela vinha até o dia em que recebi na minha caixa de emails o convite do Grupo Editorial Record para um encontro exclusivo com ela. O Gordelícias fez parte de um seleto grupo de blogs que passaria alguns minutos com ela, a mulher da pele de porcelana e do discurso apaixonado pela culinária caseira. Na hora fiquei baqueada pensando em como faria para me deslocar em uma sexta-feira para São Paulo. Como sou do Rio de Janeiro e trabalho bastante, teria que mexer meus pauzinhos. No fim das contas, deu tudo certo.

Feito criança ansiosa pela viagem à Disney, quase não consegui dormir na véspera da viagem. Na hora de acordar… foi aquele martírio. Meu voo saia super cedo e acabei não dormindo o suficiente. Mas isso não foi motivo pra me deixar desanimada. Nem mesmo pousar em Guarulhos. Ou levar 2h para chegar no centro de SP. Nada ia me deixar de mau humor pois naquela tarde eu conheceria Nigella.

Na hora de ir pro hotel onde aconteceria o encontro, mais aventuras. Motorista perdido, sem saber como chegar. Isso tudo a meia hora do início do evento. Acredito seriamente que esse tipo de coisa aconteça só pra deixar tudo ainda mais emocionante. Ao chegar na sala do evento, já havia alguns blogueiros por lá. Aliás, esse encontro foi ainda mais bacana por permitir que conhecêssemos gente como a gente. Outros blogueiros que tem suas profissões, filhos, que não são profissionais no assunto mas que colocam uma dose bem farta de amor no que fazem. Estávamos em casa.

Foto: Maria Capai/DigaMaria.com
Foto: Maria Capai/DigaMaria.com

O encontro durou pouco mais de meia hora. Cada blog participante fez uma pergunta pra Nigella, que respondeu com muito carinho a todos. Falamos sobre alimentação infantil, dietas, inspiração para cozinhar e até sobre a cozinha cenográfica do seu programa. Sabe quando você fica hipnotizado? Ela tem um jeito doce de falar, ideias tão bacanas em tempos de ditadura do regime. E por mais que tenha gente que só consegue pensar se o exame de sangue dela tá em dia, eu só conseguia pensar em como é bom ver uma celebridade remando contra essa maré louca de padrão de beleza anoréxico. Nigella é defensora da culinária simples, muitas vezes improvisada com o que temos em nossas geladeiras. É praticante da culinária “caderno de receitas da vó”: aquela dos tempos onde ninguém pensava muito no que era low carb, sabe? E ao contrário do que muita gente pensa (que ela devora todos os bolos que faz), a musa pratica Pilates e bebe pelo menos 3 litros d’água.

Foto: Maria Capai/DigaMaria.com
Foto: Maria Capai/DigaMaria.com

Acima de tudo, Nigella é uma mulher realizada, de bem com a vida e com o corpo que tem. É uma mulher de verdade, como eu, você, sua mãe. Briga com a balança e procura vestir roupas que favoreçam o biotipo, mas de jeito algum abre mão de cozinhar e comer seus quitutes preferidos. Diz que se precisasse viver de dieta, seria infeliz. Por isso, tenta equilibrar ao máximo sua alimentação, sem precisar se privar dos bolos e frituras que eventualmente aparecem na sua frente. Como a coxinha:

nigella-coxinha

#nigelling

O livro “Na Cozinha com Nigella” é maravilhoso. Mas, falaremos dele em breve aqui no blog – inclusive com uma receita já testada e aprovada. Cada blogueiro participante ganhou um livro pra chamar de seu, com dedicatória e tudo. E é claro que euzinha ganhei um livro. Fiquei agachadinha ao lado de Nigella, meio sem acreditar que ela tava ali do meu lado. *MOMENTO TIETE*

Nigella Lawson em SP
Foto: Maria Capai/DigaMaria.com

“Oi, Nigella! Tudo bem? Você gosta de ovo com gela mole?”

Nigella Lawson em SP
Foto: Maria Capai/DigaMaria.com

“Como é que se escreve o seu nome, fia?”

Nigella Lawson em SP
Foto: Maria Capai/DigaMaria.com

“Hmmmm entendi… R – A – Q – U – E – L. Muito bem, aprendeu direitinho a soletrar…”

Nigella Lawson em SP
Foto: Maria Capai/DigaMaria.com

Desculpa, sociedade. Tenho foto BFF com Nigella.

Nigella em SP

VEM TODO MUNDO! 

Voltei pro Rio feliz da vida. Em Congonhas, acabei encontrando com a equipe da Record no aeroporto e ganhei mais um tchauzinho dela. A sensação era de alma lavada, por ter trocado algumas palavras com alguém que me inspirou tanto a cozinhar sem medo de ser feliz. Desde os tempos em que eu morava mora. Dos tempos em que estagiava na Barra e batia altos papos “gordinhos” com minhas amigas. Nigella vive em cada cozinheiro de fim de semana, em cada aventureiro de primeira viagem que se arrisca no fogão e que não teme as panelas, mesmo que não dê certo. É como se você se sentisse acolhido nesses tempos loucos de whey protein. Comida de verdade, com paixão e cabelos soltos. Era assim que minha vovó fazia meus almoços. E minha mãe. E agora a gente.

Agradecimentos

Maria Capai, pelas fotos maravilhosas.
Guilherme Filippone e Rodrigo Rebelo, por proporcionarem um dos dias mais legais da minha vida.

Raquel Arellano

Raquel Arellano

Fã de cozinha prática e feita com amor. É apaixonada por maionese, pão com ovo e carne assada. Na cozinha, se aventura pelos doces e salgados, com uma leve queda para os açúcares da vida.
Raquel Arellano